×
Utilize aspas para busca exata.

Política de Cookies

Lorem ipsum dolor sit amet, consetetur sadipscing elitr, sed diam nonumy eirmod tempor invidunt ut labore et dolore magna aliquyam erat, sed diam voluptua. At vero eos et accusam et justo duo dolores et ea rebum. Stet clita kasd gubergren, no sea takimata sanctus est Lorem ipsum dolor sit amet. Lorem ipsum dolor sit amet, consetetur sadipscing elitr, sed diam nonumy eirmod tempor invidunt ut labore et dolore magna aliquyam erat, sed diam voluptua. At vero eos et accusam et justo duo dolores et ea rebum. Stet clita kasd gubergren, no sea takimata sanctus est Lorem ipsum dolor sit amet.

Lorem ipsum dolor sit amet, consetetur sadipscing elitr, sed diam nonumy eirmod tempor invidunt ut labore et dolore magna aliquyam erat, sed diam voluptua. At vero eos et accusam et justo duo dolores et ea rebum. Stet clita kasd gubergren, no sea takimata sanctus est Lorem ipsum dolor sit amet.

fechar

Política de Privacidade

fechar

Política de Uso de Dados

fechar

Notícias

Abrir Filtros

Blumenau terá grupo de trabalho permanente para resolver assuntos de segurança pública

Blumenau terá grupo de trabalho permanente para resolver assuntos de segurança pública

 

A segurança pública, com foco em furtos e roubos no comércio de Blumenau, foi tema do segundo encontro promovido pela CDL Blumenau junto a outras entidades do município - entre elas a Acib -, polícias Civil e Militar e representantes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. A reunião ocorreu no dia 26 de novembro, no Quality Hotel. Entre as ações definidas, ficou estabelecido um grupo de trabalho permanente com foco em segurança pública (veja abaixo outras ações).

 

O presidente da CDL Blumenau, Eduardo Soares, abriu o encontro lembrando que o tema é de responsabilidade de todos, por isso a importância de novos atores nesta segunda reunião. “Precisamos de apoio também dos nossos parlamentares e queremos que esta mensagem chegue até eles por meio dos representantes que enviaram. Temos de acabar com a sensação de enxuga gelo que nossas polícias enfrentaram diariamente”, destacou Soares.

 

O presidente do Conselho Deliberativo da Associação Catarinense de Supermercados (Acats), Paulo César Lopes, disse que está é a primeira vez, em sua longa jornada empresarial e atividades em entidades representativas, que viu tantas pessoas reunidas para discutir segurança.

 

“O assunto sempre mobilizou as entidades, mas em torno do efetivo policial. Hoje o foco são os constantes furtos no comércio. Não bastasse o prejuízo com as mercadorias furtadas, há o tempo que nossos gerentes despendem na delegacia para os procedimentos legais e ainda há a perda de funcionários, já que muitos pedem a conta em virtude das ameaças que sofrem pelos criminosos que foram flagrados nos supermercados”, contextualiza Lopes.

 

De acordo com o empresário, só no setor de supermercados, as perdas com furtos e roubos chegam a R$ 2 bilhões por ano, no Brasil. “Todos os dias flagramos pessoas escondendo produtos variados nas roupas e mochilas, que nem são para consumo próprio. São revendidos para outros estabelecimentos que atuam na ilegalidade”, explica.

O tenente-coronel Cleber Pires, até então comandante do 10º Batalhão de Polícia Militar, lembrou que a sociedade é feita por todos, por isso requer grande envolvimento com a causa. “Hoje contamos com atores importantes envolvidos nesse debate. São pessoas que foram além da indignação, estão de fato fazendo algo para mudar esta realidade”, apontou Pires.

 

O delegado Regional da Polícia Civil, Rodrigo Marchetti, apontou que os crimes mais violentos foram reduzidos, mas ainda há uma grande demanda em relação aos furtos. Marchetti disse que, junto com a PM, irá produzir um relatório com dados específicos sobre esse tipo de crime para ser entregue ao poder judiciário e assim realizar um trabalho conjunto.

 

O promotor Odair Tramontin discorreu, entre outros, sobre o princípio da insignificância previsto em lei. “O crime circunstancial sempre existiu, mas a questão agora é o crime como atividade econômica e a lei não consegue distinguir um do outro. Outro problema é o crime de receptação, já que boa parte dos produtos furtados são revendidos,”, apontou.

Tramontin lembrou ainda a importância de resgatar a discussão sobre redução da idade penal, que está em processo no senado há oito anos. O promotor informou que outro empecilho é que para crimes com previsão de pena menor de quatro anos, não é possível decretar a prisão preventiva.

 

O juiz titular da 1º Vara Criminal de Blumenau, doutor Eduardo Passold Reis, abordou a importância de entender que há ações a serem realizadas, paulatinamente, nos ambientes micro, médio e macro.  “No macro são necessárias mudanças nas leis, para isso, precisamos de instrumentos para fazer um bom trabalho”, afirmou.

 

O secretário de Defesa Civil de Blumenau, Carlos Menestrina, disse que o município está trabalhando no seu âmbito para contribuir com a segurança e citou o sistema de monitoramento compartilhado da Central de Controle Operacional (CCO). “Podemos analisar a possibilidade da prefeitura ampliar os recursos destinados a polícia por meio de convênio”, sugeriu Menestrina.

 

O diretor da Acib e empresário do ramo de segurança privada, Avelino Lombardi Júnior, falou sobre as cidades inteligentes, uma tendência, mas que segundo ele dependem do pronto atendimento baseado ostensividade. “Quando unimos o conceito de cidades inteligentes a mais investimentos nas polícias militar e civil, inclusive com o aparelhamento das mesmas, temos um ótimo resultado”, informou.

 

Grupo de trabalho permanente

A fim de colocar em prática as próximas ações e conseguir melhorias, os participantes criaram um grupo de trabalho permanente. As principais pautas do grupo são:

- Minuta de quais leis devem ser alteradas para efetivamente punir os criminosos e cobrar dos políticos essas mudanças;

- Criar um fundo de investimento municipal com recursos públicos para equipar as polícias Civil e Militar;

- Aumentar o efetivo das polícias Civil e Militar de Blumenau;

- Trazer e aplicar em Blumenau o conceito de cidade inteligente;

 

Parlamentares enviam representantes

 

Também participaram da reunião o vice-presidente do Sindilojas, Jair Piaia, o diretor-executivo do Sindilojas, Márcio Salvador, o presidente da Ampe, Pedro Gilmar Fank, o vice-presidente da CDL Blumenau, Antonio Bittelbrunn Junior, o diretor de SPC da CDL, Helio Roncaglio, e os advogados e representantes do setor jurídico da CDL, Angelito Barbieri e Felipe Barbieri.

 

A CDL Blumenau também convidou para o encontro os representantes políticos de Blumenau. Porém, os deputados Ismael dos Santos, Ivan Naatz e Ricardo Alba informaram que tinham compromissos já agendados e por isso enviaram representantes. 

 

O vereador Egídio Beckhauser não participou, nem enviou representante.

Quem esteve presente foi o vereador Carlos Wagner, conhecido como Alemão, que agradeceu o convite. “Quem sabe agora com a união de todos, conseguiremos mudar esta realidade”, colocou.

 

O empresário Lopes lembrou que assunto requer um grande esforço conjunto de todos. “Como cidadão blumenauense eu lamento o fato dos nossos deputados não terem vindo. São apenas três de Blumenau e não vieram. Isso me entristece”, desabafou.

Compartilhe: