×
Utilize aspas para busca exata.

Política de Cookies

Lorem ipsum dolor sit amet, consetetur sadipscing elitr, sed diam nonumy eirmod tempor invidunt ut labore et dolore magna aliquyam erat, sed diam voluptua. At vero eos et accusam et justo duo dolores et ea rebum. Stet clita kasd gubergren, no sea takimata sanctus est Lorem ipsum dolor sit amet. Lorem ipsum dolor sit amet, consetetur sadipscing elitr, sed diam nonumy eirmod tempor invidunt ut labore et dolore magna aliquyam erat, sed diam voluptua. At vero eos et accusam et justo duo dolores et ea rebum. Stet clita kasd gubergren, no sea takimata sanctus est Lorem ipsum dolor sit amet.

Lorem ipsum dolor sit amet, consetetur sadipscing elitr, sed diam nonumy eirmod tempor invidunt ut labore et dolore magna aliquyam erat, sed diam voluptua. At vero eos et accusam et justo duo dolores et ea rebum. Stet clita kasd gubergren, no sea takimata sanctus est Lorem ipsum dolor sit amet.

fechar

Política de Privacidade

fechar

Política de Uso de Dados

fechar

Notícias

Abrir Filtros

Núcleo de DHO debate síndrome de Burnout

Núcleo de DHO debate síndrome de Burnout

 

Gestão de pessoas também inclui o cuidado com saúde e bem-estar. A reunião do Núcleo DHO do dia 06 de outubro teve esse foco, abordando a questão do Burnout, apresentada por Cibele Sanches, da Rumo Desenvolvimento Humano e vice-coordenadora do Núcleo DHO.

 

De acordo com o CID 11 (Classificação Internacional de Doenças), que passa a incluir Burnout em suas referências, trata-se de uma síndrome conceituada como resultante do estresse crônico no local de trabalho que não foi gerenciado com sucesso.

 

Conforme debatido na reunião, essa síndrome tem três dimensões:

                • exaustão emocional ou esgotamento de energia;

                • despersonalização, com aumento do distanciamento mental do próprio trabalho e

                • baixa realização no trabalho.

 

Segundo o que foi apresentado na reunião, para prevenção do Burnout não são ações somente do lado da pessoa, mas também do lado das organizações, com ações como equilíbrio nas demandas, aumento de recursos e fomentar um bom clima (ambiente) de trabalho. "Muita queda de rendimento ocorre em função de adoecimento, ou seja, ambiente e demandas em desequilíbrio geram adoecimento e queda na produtividade e satisfação”, apontou Cibele.

 

A especialistas ainda alertou: “Ambientes saudáveis não adoecem pessoas. Em um mundo cada vez mais complexo, que gera ambientes de trabalho mais desafiadores, fortalecer recursos emocionais das pessoas permite gerar maiores resultados e maior satisfação para profissionais e empresas. Vale a pena avaliar o que tem sido feito para gerar ambientes e pessoas saudáveis em nossas empresas”

 

Quer trocar e evoluir na gestão de pessoas? Venha participar do Núcleo DHO da Acib. Nosso próximo encontro será dia 10/novembro, as 8h15. Entre em contato com a consultora Mara (nucleos3@acib.net) e acompanhe as redes sociais e comunicados da Acib.

 

Compartilhe: